Uruguai: Colonia del Sacramento

DSC02754

Conheci Colonia del Sacramento quando visitei Buenos Aires em janeiro de 2015. Como muitos brasileiros, fiz um bate-e-volta de algumas horas, saindo bem cedo de Buenos Aires e voltando por volta das 17h.

Colonia é uma cidade Uruguaia que fica bem perto de Buenos Aires, por isso a possibilidade de visitar as duas cidades na mesma viagem. Foi fundada por portugueses em 1680, o que deixou marca na arquitetura local.

É uma cidade bem tranquila, bem bucólica, lembrando muito a Ilha de Paquetá, porém mais conservada. Hoje do Sacramento é reconhecida como Patrimônio da Humanidade.

E adivinhem só! Colonia foi fundada por um português, Manuel Lobo, que na época era Governador da Capitania Real do Rio de Janeiro. Por isso ainda encontramos traços da arquitetura portuguesa no centro histórico.

Dentre os atrativos da cidade, estão a calle de los suspiros (rua dos suspiros) que é uma pitoresca ruazinha de pedras com casas no estilo português.Dizem que recebeu esse nome porque ali se encontrava um prostíbulo com prostitutas que arrancavam suspiros de marinheiros portugueses e espanhóis. Bem próximo a calle de los suspiros tem o Farol, de onde é possível ver parte da cidade e o Rio da Prata de cima e o portão da cidadela, que faz parte da muralha que protegia a cidade entre museus e restaurantes. Dá pra conhecer os pontos mais importante todo a pé.

Se você é do tipo atlético, pode alugar uma bicicleta e pedalar pela encosta da cidade. Resolvemos fazer percurso e ir até Plaza de Toros. É um percurso puxado para quem não está acostumado. Foram 6 km de pedaladas, porém ao chegarmos lá, encontramos a Plaza fechada. Como são ruínas que eram usadas para fazer corridas de touro, estavam se desmoronando, o que era perigoso.

DSC02772Eu fui no verão, e ao chegar lá, notei que a temperatura estava mais alta que em Buenos Aires, então, não esqueça o protetor solar e o chapéu.

Embora você esteja no Uruguai, em Colonia você consegue pagar com pesos argentinos tanto os restaurantes quanto o farol. Aliás, o farol não tem escada rolante. Você sobe por uma escada bem estreita e íngreme.

Como chegar a Colonia?

Para se chegar a Colonia pelo Rio da Prata há três empresas que fazem por percurso. Buquebus, Seacat e Express. O preço varia entre as três. A Buquebus é a mais cara, mas a mais segura também. A Express é a mais barata, mas tem fama de cancelar a viagem em cima da hora, te deixando na mão.

A Buquebus faz o trajeto Buenos Aires x Colonia del Sacramento em apenas 1 hora.

Argentina: Catedral Metropolitana e Feira de San Telmo

O que fazer em Buenos Aires num domingo de manhã. Minha sugestão é acordar cedo e fazer uma visita à Catedral Metropolitana e a Feira de San Telmo.

CATEDRAL METROPOLITANA

DSC02672

Não sou uma pessoa religiosa, mas gosto de visitar igrejas, principalmente as igrejas católicas. São construções históricas e majestosas. Em Buenos Aires, visitei a Catedral Metropolitana, localizada no centro de Buenos Aires, em frente à Praça de Maio. Aquela mesma onde fica a Casa Rosada.

Sua construção inicial era bem modesta, mas ao longo do tempo sofreu diversas alterações até chegar ao que conhecemos hoje.

Sua fachada é neoclássica e seu interior tem características barrocas. Essa mescla de estilo dá um charme pessoal a construção.

No dia que eu fui não tinha quase ninguém e eu pude sentir aquela paz, aquele silêncio que muito me contagiou. Deu vontade de ficar lá dentro por horas. Depois de conhecer a Catedral e sair de lá mais relaxado, parti para Feira de San Telmo.

DSC02692

FEIRA DE SAN TELMO

DSC02686

Se você é do Rio, talvez conheça a Feira do Rio Antigo que acontece uma vez por mês no bairro da Lapa. Buenos Aires tem uma feira no mesmo estilo que acontece todo domingo no bairro de San Telmo. É muito facil chegar nela porque você pode ter como ponto de referência a Casa Rosada. Bem próxima à Casa Rosada está a rua Defensa, a feira acontece nessa rua.

A Feira de San Telmo é o lugar para se encontrar antiguidades, artesanatos, pinturas, roupas, mas também para alguns artigos bem úteis. Foi na feira que eu comprei meu adaptador para tomada. Sim, você irá precisar de um adaptador quando viajar a Buenos Aires.

DSC02684

Teve em início em 1970 quando o arquiteto José Maria Peña resolveu anunciar em alguns jornais esse projeto de vender antiguidade, coisa pouco comum na época. Dessa forma a contou com 30 barraquinhas na sua inauguração. Aos poucos, devido o sucesso que estava fazendo, foram chegando mais interessados em montar suas barraquinhas. Daí tiveram a ideia de criar um regulamento para a feira.

Embora você já encontre barracas na rua Defensa perto da Praça de Mayo, teoricamente só é considerada a feira de San Telmo as barracas que estão na praça Dorrego. São essas que seguem o regulamento sobre vender antiquidades. No entanto, popularmente toda a extensão da rua Defensa tomada de barracas é considerada parte da Feira de San Telmo.

Além de antiguidades e artesanato, você também encontrara por ali  a famosa estátua da Mafalda. Ela está sentadinha num banco na esquina das ruas Chile e Defensa. Prepare-se para enfrentar uma fila mesmo chegando cedo. A menina é disputada. Outras atrações da feira são músicos que tocam ocasionalmente lá.

DSC02683

E você? Ficou com vontade de conhecer a feira depois de ler esse post? Tenho certeza que não vai se arrepender. Só chegue cedo para evitar a multidão.

Horário da feira: 10h as 17h.

Catedral Metropolitana

Endereço: Calle Rivadavia s/n, 1004 Buenos Aires

Argentina: Primeiras impressões

1544536_648469601965322_8257043351879759515_n

Em janeiro de 2015 fiz minha primeira viagem internacional e assim como vários brasileiros, o destino escolhido foi Buenos Aires. Eu nunca me liguei em futebol, por isso não carregava essa rivalidade tão acentuada dentro dos campos, porém, por muito tempo, eu achei mesmo que argentinos eram arrogantes, até começar a conhecê-los melhor e perceber que o argentino vai muito além do portenho de classe média.

A primeira impressão que tive ao chegar a Buenos Aires foi o clima. Todos sabem que lá faz muito frio no inverno, mas no verão, a temperatura pode passar dos 30. No entanto, quando eu cheguei, a temperatura era de 20°C graus!! Isso para um carioca é algo inusitado e embora eu goste do calor, chegar em terras portenhas com essa temperatura, foi uma surpresa agradável.

Buenos Aires é grande. Não tão grande quanto o Rio, mas a impressão é diferente. Buenos Aires tem avenidas longas e largas. Parecem não ter fim. A Av. del Libertador, no bairro de Palermo, é tão larga quanto a Av. Pres. Vargas, mas você tem que atravessá-la de uma só vez, porque não há uma calçada no meio da avenida separando duas pistas.

Outra impressão foram os parques. Buenos Aires tem muitos parques públicos, bosques imensos onde os portenhos vão para relaxar, sentar na grama, passear com o cachorro, com a família, namorar. Eu mesmo, depois de andar muito, resolvi parar em um dos bosques e observar a vida ao meu redor.

Uma outra impressão, e essa me fez gostar ainda mais do país, foi o fato de os argentinos manterem viva a memória de líderes politicos e guerrlheiros, como Che Guevara. Eva Perón, o Che e Carlos Gardel estão por todos os lados. É um relacionamento com o passado que nós brasileiros não temos e que me dá muita inveja.

Então, se você pensa em viajar para fora, inclua Buenos Aires na sua lista. Talvez suas impressões sejam diferentem, mas tenho certeza que não se arrependerá.