Cuba: 10 coisas que você precisa saber

Quando se fala sobre Cuba nos meios de comunicação, geralmente  tem a ver com Fidel e comunismo. Muita coisa do que se diz não é verdade, ou é meia verdade. Só mesmo viajando até lá para sentir o que esta ilha representa.

Nesse post resolvi elencar umas informações básicas e outras mais como curiosidade.

1.Moeda

Em Cuba há duas moedas. O peso cubano e o peso convertível (CUC). Antes de viajar eu não conseguia entender bem como funcionava essa dinâmica de duas moedas, mas não é tão difícil assim. O peso cubano é a moeda que os cubanos costumam usar. O CUC é a moeda do turista. O que isso significa? Na hora de trocar dinheiro, o turista troca sua moeda em CUC. Os passeios, lembranças, muitos restaurantes cobram em CUC. Aí que Cuba se torna um lugar caro para o brasileiro, porque o CUC tem seu valor atrelado ao dolar. 1 CUC = ! dólar. Dessa forma, se o dólar estiver alto, ruim pra gente. 1 CUC = 24 pesos cubanos.

Isso quer dizer que não poderei usar o peso cubano?

Não é bem assim. Você troca seu dinheiro para CUC, mas mesmo nos lugares onde o preço está em pesos cubanos, você pode pagar com CUC. Aí é vantagem. Por exemplo, eu encontrei um restaurante onde os preços eram em pesos cubanos. 5 CUC dava para duas pessoas comerem bem, ao passo que nos restaurantes que cobram em CUC, 7 CUC só dá para 1 pessoa comer. Dessa forma, se você quiser economizar, procure restaurantes que cobrem em pesos cubanos. Alguns tem uma placa indicando, ou está no cardápio.

Pra terminar, leve euros para trocar por CUC. É mais vantagem, porque o dólar tem uma taxa de 10%.

2. Visto

Não é preciso tirar visto para visitar Cuba. O que pedem é um cartão de turista (Tarjeta de Turista). Você pode comprar pessoalmente no consulado cubano em SP ou pedir pelo correio. Algumas companhias aéreas, como a Copa Airlines, vendem no aeroporto. Levei reais e dólares para poder comprar a tarjeta. No Galeão já tinha acabado, então tive que comprar na minha conexão no Panamá, e lá só vendem em dólares. No aeroporto ela custa U$20 (20 dólares). Se você comprar pelos Correios, o preço sobe um pouco. Veja o que precisa ter para tirar pelos Correios.

Documentos necessários:
1 – Passaporte válido
2 – Formulário de Solicitação preenchido – clique aqui para ver o formulário
3 – Cópia da passagem aérea (ida+volta)
4 – Cópia da reserva da hospedagem

3. Vacina febre amarela

Antes de viajar eu li sobre pedirem vacina contra febre amarela. No entanto, há um documento do OMS que coloca Cuba no grupo dos países que não exigem essa vacina. Então viaje tranquilo, caso não tenha sido vacinado.

4. Seguro Saúde

Outra informação que eu achei na internet foi sobre Cuba exigir seguro saúde. Eu não contratei nenhum e fui torcendo para não me pedirem. Quando cheguei no aeroporto tive que preencher um papel informando dados sobre minha saúde, mas não tive que pagar nada. Esse procedimento me pareceu meio aleatório. Vai depender se a agente de saúde foi com a sua cara. Na dúvida, contrate um seguro saúde antes de viajar. Dizem que eles te vendem lá no aeroporto, caso você não tenha.

5. Comida

O que pude notar nessa viagem a Cuba é que os cubanos são brasileiros que falam espanhol. São mais parecidos com os brasileiros tanto fisicamente, quanto no comportamento do que com outros latinos. Até a comida deles é parecida com a nossa. Você vai encontrar arroz, feijão, frango, carne, batata frita, frutos do mar. Comida por lá parece bem menos diversificada do que no México, para mim estava ótimo porque não senti saudade de casa.

6. Clima

Minha viagem foi em agosto, ou seja, o verão deles. Aconselho a não fazerem o mesmo, porque é insuportável. A umidade é muito alta e quem não está acostumado pode passar mal. Mesmo quem é do Rio de Janeiro vai sentir a diferença. Não sei como é em janeiro ou se é possível ir a praia nessa época.

E os furacões?

A temporada de furacões é de julho a novembro, mas não vi nem sombra de um. Sorte talvez.

Dizem que a melhor época para visitar Cuba é entre os meses de novembro e abril. Época de clima mais seco e temperaturas mais agradáveis.

7. Assédio

Cubanos são muito sensuais, extrovertidos, comunicativos. Não tem medo de gente, como alguns europeus. Mulheres costumam ser muito assediadas por lá. Mas não parecem nada agressivos, Nesse caso só um mulher que tenha viajado sozinha pra ilha pode dizer. No geral, o que eu via eram mulheres serem cantadas, principalmente estrangeiras.

8. Jineteiro

O Rio de Janeiro é conhecido pela maladragem, mas saiba que não somos os únicos. Cuba tem os seus. Os jineteiros são os cubanos que puxam conversa com você para depois de oferecerem algo. Primeiro te seduzem, se fazem de amigos, perguntam de onde você é e assim vão te conquistando. Em Havana “caímos” num desses “golpes”. O senhor que nos abordou foi direto. Perguntou se estávamos interessados em comprar charutos. Disse que fazia parte de uma cooperativa e nos vendia charutos mais baratos que na fábrica. Nos levou até um galpão onde já haviam outros gringos comprando os tais “puros” (como eles chamam o charuto). Minha amiga comprou dois por insistência dele, mas o que eu percebi é que em nenhum momento eles foram agressivos. Com certeza o charuto que eles vendem é mais caro que na fábrica, mas é muito mais barato que no Brasil. No entanto, o melhor a se fazer é dizer um “no, gracias” e seguir em frente.

Tem gente que não gosta desse assédio, mas eu não me senti incomodado porque eles não insistem muito.

Além desses que te oferecem algo, você encontrará cubanos te pedindo roupa ou dinheiro para comida. Mas é bom saber que os cubanos não passam fome. O governo garante comida e teto para a população. Crianças são bem nutridas. Não vendem doce no sinal. Mas devido a economia, virou costume de alguns cubanos pedir coisas a estrangeiros.

9. Hotel x casa de cubano

Raramente fico em hotel quando viajo. São muito mais caros e isso aumenta o custo da viagem consideravelmente. Em Cuba há uma alternativa aos hoteis que são as casas de cubano. Como ganham pouco, muitos cubanos alugam quartos para complementar a renda. Alguns devem ganhar mais fazendo isso do que em seus trabalhos normais. Os donos da casa onde eu fiquei eram médicos e estavam sempre por lá. Não sei se exerciam a profissão. Os preços dos quartos não variam muito. Em geral 25 CUC ou 30 CUC, dependendo da cidade. Muitos cubanos fazem isso então não é difícil achar onde ficar. procure as casas com uma placa branca e um desenho de uma flecha azul. São casas registradas pelo governo. Algumas servem café da manhã, almoço e jantar. O café não está incluso, costuma custar 5 CUC e o almoço e jantar 7 CUC.

10. idioma

Os cubanos falam espanhol, mas aí você pensa, “fiz 10 anos de curso de espanhol, então vou me virar bem por lá!” Nada disso. O espanhol deles é muito difícil até mesmo para outros nativos do espanhol. Costumam trocar o r pelo l e cortar algumas palavras. “Diez” vira “die”, “seis” vira “sei”. Falam rápido demais e muitos tem uma voz fanha.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s