Argentina: El Club de la Milanesa. Será que vale a pena?

dsc02816

Quando eu planejava minha viagem para Buenos Aires, comecei a pesquisar sobre onde e o que comer na cidade portenha. Quando descobri que lá tem um restaurante especializado em milanesa, eu não pensei duas vezes: tenho que conhecê-lo já que esse é um dos meus pratos preferidos.

Existem várias filiais desse restaurante por Buenos Aires e a que eu fui fica na Av. Callao 1077, bem próximo do Grand Ateneo, ou seja, dá pra visitar o Ateneo e depois dar um pulo no Club de la Milanesa.

Mas vamos direto ao ponto e entrar no assunto do post. Será que vale a pena comer nesse restaurante? Continue reading “Argentina: El Club de la Milanesa. Será que vale a pena?”

Argentina: Hostel Suite Florida

Nas minhas viagens sempre procuro ficar em albergues. São mais baratos e a interação com as pessoas é mais interessante. Por que pagar mais de R$100 na diária se eu vou ficar a maior parte do tempo na rua? Essa é a minha lógica, pelo menos. Nesse post, irei contar como foi minha experiência no Hostel Suite Florida, em Buenos Aires.

DSC02667

Continue reading “Argentina: Hostel Suite Florida”

Argentina: El Ateneo

DSC02802

Sempre que eu viajo a outro país, eu procuro conhecer a(s) livraria(s) locais. Livros são minha compulsão, então não seria diferente nas minhas viagens. Mas ir a Argentina e visitar a livraria El Ateneo é um assunto à parte.

Conhecia como a maior livraria da América do Sul, o El Ateneo foi inaugurado em 1909 como um teatro. Por ele passaram grandes nomes argentino como Roberto Firpo, Ignácio Corsini e Carlos Gardel. Este último chegou a gravar por um selo montado no próprio teatro.

Continue reading “Argentina: El Ateneo”

Argentina: informações básicas

Entre os países da América Latina, a Argentina é a que recebe mais turistas brasileiros. Basta visitar Buenos Aires em janeiro para constatar isso. Você irá encontrar brasileiros e escutar português a cada 5 passos. Para os que não foram ao país hermano ainda, vou listar aqui algumas informações básicas que irão ajudá-los:

Continue reading “Argentina: informações básicas”

Argentina: Catedral Metropolitana e Feira de San Telmo

O que fazer em Buenos Aires num domingo de manhã. Minha sugestão é acordar cedo e fazer uma visita à Catedral Metropolitana e a Feira de San Telmo.

CATEDRAL METROPOLITANA

DSC02672

Não sou uma pessoa religiosa, mas gosto de visitar igrejas, principalmente as igrejas católicas. São construções históricas e majestosas. Em Buenos Aires, visitei a Catedral Metropolitana, localizada no centro de Buenos Aires, em frente à Praça de Maio. Aquela mesma onde fica a Casa Rosada.

Sua construção inicial era bem modesta, mas ao longo do tempo sofreu diversas alterações até chegar ao que conhecemos hoje.

Sua fachada é neoclássica e seu interior tem características barrocas. Essa mescla de estilo dá um charme pessoal a construção.

No dia que eu fui não tinha quase ninguém e eu pude sentir aquela paz, aquele silêncio que muito me contagiou. Deu vontade de ficar lá dentro por horas. Depois de conhecer a Catedral e sair de lá mais relaxado, parti para Feira de San Telmo.

DSC02692

FEIRA DE SAN TELMO

DSC02686

Se você é do Rio, talvez conheça a Feira do Rio Antigo que acontece uma vez por mês no bairro da Lapa. Buenos Aires tem uma feira no mesmo estilo que acontece todo domingo no bairro de San Telmo. É muito facil chegar nela porque você pode ter como ponto de referência a Casa Rosada. Bem próxima à Casa Rosada está a rua Defensa, a feira acontece nessa rua.

A Feira de San Telmo é o lugar para se encontrar antiguidades, artesanatos, pinturas, roupas, mas também para alguns artigos bem úteis. Foi na feira que eu comprei meu adaptador para tomada. Sim, você irá precisar de um adaptador quando viajar a Buenos Aires.

DSC02684

Teve em início em 1970 quando o arquiteto José Maria Peña resolveu anunciar em alguns jornais esse projeto de vender antiguidade, coisa pouco comum na época. Dessa forma a contou com 30 barraquinhas na sua inauguração. Aos poucos, devido o sucesso que estava fazendo, foram chegando mais interessados em montar suas barraquinhas. Daí tiveram a ideia de criar um regulamento para a feira.

Embora você já encontre barracas na rua Defensa perto da Praça de Mayo, teoricamente só é considerada a feira de San Telmo as barracas que estão na praça Dorrego. São essas que seguem o regulamento sobre vender antiquidades. No entanto, popularmente toda a extensão da rua Defensa tomada de barracas é considerada parte da Feira de San Telmo.

Além de antiguidades e artesanato, você também encontrara por ali  a famosa estátua da Mafalda. Ela está sentadinha num banco na esquina das ruas Chile e Defensa. Prepare-se para enfrentar uma fila mesmo chegando cedo. A menina é disputada. Outras atrações da feira são músicos que tocam ocasionalmente lá.

DSC02683

E você? Ficou com vontade de conhecer a feira depois de ler esse post? Tenho certeza que não vai se arrepender. Só chegue cedo para evitar a multidão.

Horário da feira: 10h as 17h.

Catedral Metropolitana

Endereço: Calle Rivadavia s/n, 1004 Buenos Aires

Argentina: Primeiras impressões

1544536_648469601965322_8257043351879759515_n

Em janeiro de 2015 fiz minha primeira viagem internacional e assim como vários brasileiros, o destino escolhido foi Buenos Aires. Eu nunca me liguei em futebol, por isso não carregava essa rivalidade tão acentuada dentro dos campos, porém, por muito tempo, eu achei mesmo que argentinos eram arrogantes, até começar a conhecê-los melhor e perceber que o argentino vai muito além do portenho de classe média.

A primeira impressão que tive ao chegar a Buenos Aires foi o clima. Todos sabem que lá faz muito frio no inverno, mas no verão, a temperatura pode passar dos 30. No entanto, quando eu cheguei, a temperatura era de 20°C graus!! Isso para um carioca é algo inusitado e embora eu goste do calor, chegar em terras portenhas com essa temperatura, foi uma surpresa agradável.

Buenos Aires é grande. Não tão grande quanto o Rio, mas a impressão é diferente. Buenos Aires tem avenidas longas e largas. Parecem não ter fim. A Av. del Libertador, no bairro de Palermo, é tão larga quanto a Av. Pres. Vargas, mas você tem que atravessá-la de uma só vez, porque não há uma calçada no meio da avenida separando duas pistas.

Outra impressão foram os parques. Buenos Aires tem muitos parques públicos, bosques imensos onde os portenhos vão para relaxar, sentar na grama, passear com o cachorro, com a família, namorar. Eu mesmo, depois de andar muito, resolvi parar em um dos bosques e observar a vida ao meu redor.

Uma outra impressão, e essa me fez gostar ainda mais do país, foi o fato de os argentinos manterem viva a memória de líderes politicos e guerrlheiros, como Che Guevara. Eva Perón, o Che e Carlos Gardel estão por todos os lados. É um relacionamento com o passado que nós brasileiros não temos e que me dá muita inveja.

Então, se você pensa em viajar para fora, inclua Buenos Aires na sua lista. Talvez suas impressões sejam diferentem, mas tenho certeza que não se arrependerá.